É possível avaliar a qualidade do óleo do motor pelo tato.

Imagine a cena: Você vai até o posto encher o tanque de seu carro e o frentista se oferece para verificar o óleo do motor. Ele abre o capô, puxa a vareta do cárter e tateia o óleo na ponta do metal.

Não satisfatório, cheira brevemente o fluido e dá seu veredicto: “Ta precisando trocar o óleo”. Parece absurdo, mais isso é mais comum do que parece. Esse paradigma existe há anos, mas é tecnicamente impossível avaliar o óleo pelo tato.

O que escurece o óleo é a fuligem ou oxidação, o que é perfeitamente normal. Hoje existem muitos óleos de baixa viscosidade, como o 5w30, que são mais finos. Isso pode confundir os frentistas por falta de conhecimento. Quando o óleo esta aquecido, é normal que ele esteja fino.

O óleo que vemos na vareta só serve para verificarmos o nível do fluido, não sua qualidade. É por isso que chamamos a peça de ‘vareta medidora de nível’.

Entre em Contato Conosco